“Em 2025 como estarei?” foi o tema proposto pela disciplina de Psicologia para incomodar a consciência crítica dos alunos de EPVL. Num mundo tão despido de valores vitais, morais, éticos e espirituais, é bom que se incomode a consciência crítica dos mais jovens, muitas vezes vítimas desse vazio valorativo, construtor de uma vida sem sentido e/ou pautada por escolhas menos próprias. Foi bem-vindo o esforço para a reorientação da tomada de decisões acertadas, proposto ao longo do dia 1 de março pelo Desafio Jovem , que, mais uma vez, acedeu ao convite para dinamizar uma palestra de prevenção de consumos e maus hábitos de vida, com 5 sessões de 50 minutos cada. Desta forma, todos os alunos presentes na escola nesse dia tiveram a oportunidade de refletir sobre as escolhas que estão a fazer no presente, e como é que essas nos levam a quem vamos ser no futuro. Através de uma dinâmica inicial (quebra gelo) orientada pela Rute Morais, seguida da apresentação da instituição/trabalho desenvolvido/comunidade, com o auxílio de um PowerPoint e de um vídeo com imagens da comunidade, pela Cátia Silva – psicóloga. Seguiram-se os testemunhos do Levi e do Fábio, que, sem dúvida alguma, impactaram a vida de cada um dos ouvintes deixando-os atentos, circunspetos, interessados, curiosos e participativos, colocando questões pertinentes às quais, quer o Levi, quer o Fábio, dois homens que cumpriram o programa de Desafio Jovem e estão libertos do vício da droga, do álcool e até do crime, respondiam prontamente, com precisão e muito carinho por cada vida presente naquele auditório. A mensagem transmitida foi de vida, sabedoria e esperança. O grupo de voluntariado da escola envolveu-se nesta atividade, mobilizando alunos, professores e funcionários a participarem com um género alimentar para ofertar à instituição, cujo lema é numa pessoa uma causa. Ainda fruto do lucro obtido com a feira BioAgradável, foi ofertado ao Desafio Jovem o valor monetário de 100 euros.